3 de jun. de 2020

[Resenha] A Árvore dos Frutos Envenenados, de Rebeka Préz

O ano é 1957. O corpo de uma professora é encontrado com marcas de um assassinato violento, agitando a rotina da pequena cidade de Aurora do Norte, no interior paulista. Na pista desse mistério está Cecília Venturini, membro da primeira turma de mulheres policiais de São Paulo. Para encontrar o assassino, ela terá de desvendar uma teia de segredos em meio a uma parceria complicada com o detetive alcoólatra Roberto Pimentel.

Embora esse não seja o gênero que leio com mais frequência, sempre consigo me divertir com um bom livro policial, e o trabalho de Rebeka Prez, com certeza, é um dos bons.

O livro apresenta uma narrativa cinematográfica que curto bastante. O texto é dinâmico e envolvente. A ambientação é excelente e Rebeka consegue criar cenários vivos sem se estender em descrições longas. A cidade de Aurora do Norte também é bastante autêntica, seja na criação de mundo, seja em seus personagens: figuras com as quais poderíamos trombar no meio da rua.

28 de abr. de 2020

[Resenha] Bella Greyson, de Cristiane Fernandes (Em Busca do Amor - vol. 02)

Aqui temos mais uma leitura fora da caixa pra mim. De Cristiane Fernandes, Bella Greyson é o segundo volume da trilogia Em Busca do Amor. Apesar de ser a segunda parte de uma série, o livro apresenta uma história fechada.

O que temos aqui é um história de romance e drama, com uma outra cena mais quente. Pessoalmente, não chego a considerar um livro hot, apesar de ter essa classificação (um "hotinho", como me disse a própria autora).

A trama apresenta a história de Isabella Greyson, uma ex-modelo tentando colocar sua vida de volta nos eixos após ser acometida por uma quadro de bulimia. De seu novo apartamento, Bella procura pôr em ordem seu intempestivo romance secreto com J. C., um velho amigo de sua família, enquanto ajuda sua melhor amiga Stela a superar um relacionamento abusivo, lida com uma mãe controladora e outras coisas mais.

29 de mar. de 2020

[Resenha] Um Encontro com o Acaso, de Dresa Guerra

Um Encontro com o Acaso é um romance do tipo slice of life, ou seja , um recorte da vida: um história baseada no cotidiano de seus personagens.

A trama gira entorno dos encontros e desencontros da fotógrafa profissional Mariana e do professor de inglês André. Ela, intensa e imprevisível. Ele, calmo e planejador. Embora a primeira vista possa parecer um romance do tipo: "os opostos se atraem", a verdade é que a relação entre os dois é extremamente bem construída.

A trama vai evoluindo juntamente com o relacionamento de Mariana e André. O ritmo da narrativa é bem fluído e a autora consegue criar um clima de intimidade entre os leitores e os personagens. Durante a leitura você se sente cúmplice do casal. Mesmo em momentos mais sérios e delicados, a narrativa mantém um clima leve, tornando a leitura bastante tranquila e agradável.

16 de fev. de 2020

[Resenha] Milagres no Campo dos Girassóis, de Sandra Alves

Milagres no Campo dos Girassóis é uma publicação independente da autora Sandra Alves. É um belo exemplo de realismo fantástico.

No livro, somos apresentados à Malaquias, um espécie de profeta vagando por uma região isolada do interior, à busca de um lugar para espalhar sua filosofia e suas visões. Uma visão em especial mexe com ele: as imagens de um menino do passado. Enquanto tenta descobrir qual é sua verdadeira missão, o profeta também precisa lidar com Quirino, um homem ganancioso e cheio de artimanhas, e também com a filha desiludida deste.

Com apenas 100 páginas, Milagres no Campo dos Girassóis está mais para uma noveleta do que um romance. No início, a narrativa de Sandra Alves me causou certa estranheza, mas a medida que fui entendendo melhor o livro, comecei a me encantar com o obra.

9 de fev. de 2020

[Resenha] World of Warcraft: Marés da Guerra, de Christie Golden

Quando se tem em mãos um livro derivado de algum game, filme ou HQ famosos (e com muito background) é um bastante comum surgir a questão: é preciso conhecer a obra original para aproveitar essa leitura? Bom, nunca joguei World of Warcraft, então essa dúvida passava pela minha cabeça também.

É necessário conhecer o games para desfrutar da leitura de Marés da Guerra? A resposta é um agradável "não". Antes de abrir o livro, meu conhecimento sobre Warcraft limitava-se ao confuso filme de 2016. Ainda assim, não tive problema algum para compreender o cenário, os personagens e as histórias do passado.

Méritos para a autora Christie Golden, que opta - de forma bastante acertada - em focar sua história num grupo de personagens e num plot mais linear, evitando o despejo de informações desnecessárias. Há muito background sobre os personagens, lugares e a história do mundo, mas é tudo relativo à trama que acompanhamos.

6 de fev. de 2020

[Resenha] Tsara, de Michelle Louise Paranhos

Em Tsara, somos apresentados à Mariana, uma bem-sucedida empresária do ramo de turismo. Ela também é filha de uma mãe cigana, embora tenho tido um contato mínimo com sua herança cultural. Sua vida muda quando ela se vê transportada de forma inexplicável para um acampamento cigano onde é tratada por outro nome.

A partir daí, Mariana passa a sentir cada vez mais dividida entre duas realidades. Em uma delas precisa lidar com sérios problemas legais que podem destruir sua carreira. Na outra realidade, tem de lidar com as complexas tradições ciganas e com um passado turbulento que ela precisa conhecer.