10 de out de 2017

[Game] Street Fighter V

Nota: existem muitas resenhas de games por aí, esse texto é sobre minhas impressões pessoais.

A polêmica foi tão grande no lançamento de Street Fighter V que eu não sabia exatamente o que esperar. Agora que estou com ele em mãos, acho que SFV é um dos melhores jogos da franquia. E ao mesmo tempo, também é um dos piores.

Acontece que o game foi lançado com poucos recursos e apenas um único modo de jogo. Naturalmente, muita gente reclamou de ser um produto inacabado. Eu cheguei mais de um ano depois e, como adicionaram conteúdo de lá para cá, essa sensação não incomoda tanto. Mesmo assim, o game ainda está incompleto, tanto que há uma grande atualização agendada para o começo de 2018.

São 16 lutadores na versão básica e estranhei um pouco a lista de personagens. Mesmo que a maioria sejam veteranos, boa parte deles não é do primeiro escalão, como Nash, Karin, Birdie e outros. Guile, Akuma e Balrog só estão disponíveis em DLCs e sinto muita falta de Sagat, Sakura e Blanka (o RH da Shadaloo só pode estar brincando para demitir o Sagat e contratar um personagem tão ridículo como o Fang no lugar). Entre os novatos, Rashid e Laura são os mais legais.

O modo versus é, de longe, o melhor. Os gráficos em 2,5D estão bonitos e a movimentação é fluída. A quantidade de combos e golpes especiais aumenta a variedade e deixa as lutas mais divertidas. Sério, tudo funciona com perfeição durante as lutas.

Fora delas, a situação é bem diferente. A variedade dos modos de jogo é pequena e pouco inspirada. No geral, a apresentação é pobre, com pouco trabalho de vozes e muuuitos loadings. Também há um modo de história gratuito que precisa ser baixado separadamente. Infelizmente, meu console nunca consegue ir além da primeira tela de loading, então "não sou capaz de opinar" sobre isso.

Meu conselho para quem quiser jogar SFV é: vá direto para as lutas. Ali, todos os problemas desaparecem. De resto, prossiga com cautela.

Plataformas: Playstation 4, PC
Gênero: luta
Desenvolvedor: Capcom
Lançamento: 2016

2 de out de 2017

[Dica de leitura] Gunslinger, de Renato Moraes

Meu amigo Renato Moraes é o artista por trás das capas de Arcanista, Armamentista e Dragão de Gaia. Agora ele está lançando seu próprio projeto: a HQ Gunslinger, e o primeiro volume acabou de sair.

A história é ambientada no velho-oeste e, segundo o próprio Renato trata-se de uma homenagem aos filmes clássicos do gênero. Gunslinger está disponível na Amazon e você pode adquirir clicando aqui ou na capa.

Para completar, tem um promoção bem legal rolando. Se você postar um print de Gunslinger no seu dispositivo no Facebook e marcar o Renato, ganha um sketch à sua escolha!

11 de set de 2017

Entrevista para o canal da Lu Evans

A amiga Lu Evans, autora de Zylgor: A Princesa das Águas, tem um série de entrevistas bem legal em seu canal no youtube, batendo um papo com autores nacionais. E eu tive a honra de ser um dos entrevistados.

Vocês podem conferir a minha entrevista aí embaixo, mas não deixem de acompanhar o canal par conferir novos vídeos.

4 de set de 2017

[Resenha] Zylgor: A Princesa das Águas, de Lu Evans

Primeiro volume da série independente de Lu Evans, A Princesa das Águas narra a jornada de Cã, um jovem que desperta num mundo completamente diferente da Terra, cheio de criaturas mágicas e onde quase tudo é azul. Após encontrar-se com um trio de gnomos, é levado à presença da princesa Lilat e por acidente, acaba tendo um cristal mágico incrustado na testa. A partir desse momento, o destino de Cã passa a ser o de aliar-se à Lilat para libertar o mundo de Zylgor do domínio do terrível Daimos.

Antes de mais nada, preciso dizer que não sou a pessoa mais indicada para resenhar esse livro. Prefiro obras com um ritmo dinâmico, tanto na narrativa, quanto nos diálogos e a obra de Lu Evans tem uma proposta bem diferente. Aqui, a jornada evoluí devagar, sem pressa de chegar ao destino final. Que fique claro que não considero isso um demérito para o livro, é mero gosto pessoal.

E já que estamos falando de narrativa, o estilo que Lu Evans emprega aqui remete às obras de Tolkien. A história pode ser lida quase como um conto de fadas, com uma linguagem bonita e cheia de lirismos. A mitologia do mundo de Zylgor é descrita em detalhes, bem como os cenários e o passado dos personagens.

Ainda sobre os personagens, achei um tanto arquetípicos: Cã é corajoso só por ser corajoso e tem uma relação com Lilat do tipo "opostos se atraem" que pouco evolui ao longo do livro (talvez guardando para os próximos volumes). Da mesmo forma, Daimos é essencialmente mau. Concordo que esse tipo de personagem combina com a proposta da obra, mas senti falta de um pouquinho mais de profundidade.

O próprio mundo onde a história se passa também é um personagem, e muito bem elaborado. Para quem busca uma grande aventura, mundos fantásticos e curte leituras com uma pegada clássica, Zylgor: A Princesa das Águas é uma bela pedida.

Autora: Lu Evans
Páginas: 400
Anos: 2014
Editora: Independente

28 de ago de 2017

Top 10 - Game of Thrones: Personagens dos livros que não aparecem na TV

Apresento a vocês um ranking com meus personagens favoritos dos livros da saga Canção de Gelo & Fogo que ainda não apareceram na série de TV. Agora que a polêmica sétima temporada chegou ao fim, e considerando que restam poucos episódios para o show terminar, dificilmente esses figuras devem dar as caras na produção da HBO.

É interessante notar que muitos personagens dessa lista sugerem que a série literária vai tomar rumos bem diferentes da TV nos próximos livros (ainda bem).
Fica o aviso que o texto contém spoilers dos livros. Todas as ilustrações são do site A Wiki of Ice and Fire

18 de ago de 2017

Meu conto em destaque no SobrEscrever


Para quem não conhece, o SobrEscrever é um podcast do Leitor Cabuloso que fala sobre a escrita, técnicas e construção de textos. O quarto episódio trouxe o tema plot twist e teve como destaque o meu conto Eva & Morte, o que me deixou muito feliz :D

Você pode acessar o episódio clicando abaixo ou na imagem acima.


7 de ago de 2017

[Resenha] Alys: Elemento Alpha, de Priscila Gonçalves

Hoje trago a resenha de mais uma autora nacional chegando ao mercado. Livro de estreia de Priscila Gonçalves, Alys: Elemento Alpha é uma aventura young adult ambientada num mundo que mistura magia e tecnologia.

Num futuro alternativo, o surgimento de metais mágicos remodelou a sociedade e também as próprias pessoas. Nesse cenário, Alys é uma adolescente levando uma vida reclusa por conta de seu pai super-protetor. Num dos raros passeios dela ao lado de seu amigo de infância Kyer, um incidente coloca um exército de seres mágicos perigosos no seu encalço e de seus entes queridos, tudo por causa de uma antiga profecia da qual ela é peça-chave.

Meu interesse pelo livro começou quando fiquei sabendo mais detalhes da ambientação. Adoro mistura de gêneros e a autora usa muito bem esse recurso para apresentar um mundo onde dragões usam tablets e motos voadoras podem ser conjuradas magicamente (alguém precisa me ensinar esse truque, é sério).

Além de tudo, esse é um mundo com uma mitologia própria e bastante rica. A narrativa de Priscila Gonçalves é leve e acessível com um bom ritmo. É raro passar um capítulo sem que seja introduzido um novo personagem ou elemento importante. É interessante que, apesar da profecia, Alys foge do que se esperaria de uma heroína predestinada, sendo uma jovem curiosa e um pouco estabanada, sem aptidão para uma vida aventureira. Também vale destacar o melhor amigo dela: Kyer. É quase impossível não sentir empatia por ele. Outro personagem de destaque, Evan, não ganhou minha simpatia e já explico a razão.

Evan faz bullying com a Alys, é possessivo com ela e tem o hábito de espionar suas conversas particulares às escondidas. Porém, outros personagens estão sempre tentando convencer a Alys que esse comportamento é uma prova do quanto ele se preocupa com ela (preciso dizer que não vi nenhuma outra resenha comentando sobre isso, então considerem essa como uma visão bem pessoal minha).

Felizmente, essas questões não chegam a ser um problema e estão longe de atrapalhar a experiência da leitura desse livro.

Com uma boa narrativa, uma protagonista cativante e um mundo original, Alys: Elemento Alpha é uma boa pedida para quem procura uma aventura leve e divertida.

Autora: Priscila Gonçalves
Páginas: 354
Ano: 2017
Editora: Pendragon