15 de jun de 2010

[Dicas para escrever] Tipos de Roteiro: Método Marvel


Já falamos sobre como formatar um roteiro Full Script (você não viu? Clique aqui).

Agora vamos falar sobre outro tipo de roteiro, o Método Marvel.

Método Marvel

Também chamado de ARGUMENTO ou MARVEL WAY, esse tipo de roteiro foi criado por Stan Lee em meados dos anos 1960. Nessa época Lee assinava inúmeros títulos: Homem-Aranha, Quarteto Fantástico, X-Men entre outros. Teria sido muito difícil escrever tantos roteiros ao mesmo tempo utilizando o Full Script, por essa razão Stan Lee desenvolveu um tipo novo de roteiro: o Método Marvel.

Funcionava assim, em poucas linhas Lee fazia um resumo de uma história inteira. Veja um exemplo:

O Duende Verde foge da cadeia e seqüestra Mary Jane. Seguindo as pistas deixadas no local do crime, o Homem-Aranha encontra seu inimigo e sua amada no alto da ponte Hudson. Herói e vilão lutam. Quando percebe que vai ser derrotado, o Duende derruba Mary Jane da ponte, mas o Aranha consegue salvá-la. O vilão foge prometendo vingança.

Com essa sinopse em mãos o desenhista ilustrava toda a história (a diagramação ficava toda a cargo do do próprio artista) e, só depois, Lee voltava para escrever os diálogos (deve por isso que os diálogos que ele escrevia nesse período eram tão estranhos!)

Com o tempo o Método Marvel evoluiu um pouco. Atualmente, o roteirista escreve um pequeno resumo para cada página, mas ainda cabe ao desenhista toda a parte da diagramação. Os diálogos, agora já vêm no roteiro.

Vejamos como o roteiro de SUZANA & JÚLIO ficaria no Método Marvel:

SUZANA & JÚLIO – Joe de Lima
PÁGINA 01
Uma casa em um bairro de classe média. Suzana e Júlio estudam na sala de estar, em meio a muitos livros. Suzana é loira e usa um top e uma bermuda jeans. Júlio é moreno e veste uma camisa e bermudão. Eles conversam, de forma bem-humorada sobre o cansaço dos estudos. Ela se queixa de ainda ter treino depois.
SUZANA – É sério, Júlio. essa prova do ENEM ainda vai acabar comigo!
JÚLIO – Nem me fale. Eu ainda vou morrer de tanto estudar!
SUZANA – E pensar que eu ainda tenho treino de handebol hoje.
JÚLIO – Não sabia que você estava no time, Suzana.

Como dá pra ver, o Método Marvel dá muito mais liberdade para o artista.


A grande vantagem desse tipo de roteiro é permitir que, assim como Stan Lee, você possa lidar com vários projetos simultâneos. A maior desvantagem é que o estilo do desenhista se sobrepõe ao seu estilo narrativo.

Sobre isso, Gian Danton faz o seguinte comentário em seu livro Como Escrever Histórias em Quadrinhos: “Pegue histórias dos X-Men de vários desenhistas, mas todas escritas por Chris Claremont. As histórias desenhadas por John Byrne são completamente diferentes daquelas desenhadas por Bill Sienkiewicz. Parece que são escritas por pessoas diferentes.”

Já vimos como o desenhista Rafa Lee desenhou SUZANA & JÚLIO seguindo um roteiro Full Script. Agora veja acima como ele ilustrou a mesma página, mas dessa vez, seguindo a versão do Método Marvel.

Pra completar essa trilogia, eu volto falando sobre o Layout.

2 comentários:

  1. Bah! Método Marvel é uma merda, pra roteiristas preguiçosos. Quem é que no BR tem uma grande quantidade de HQ pra escrever? Talvez no dia que o tal mercado HQb crescer, esse estilo possa ter algum tipo de validade.
    Mesmo no Fullscript o desenhista tem 50% de contribuição na produção. O roteiro é apenas um esboço, e aquilo que fica na página passa pelo olhar crítico do artista, afinal, ele é o diretor.

    ResponderExcluir
  2. É verdade que no Brasil nenhum roteirista cuida de tantos títulos assim, mas muitos quadrinhistas por aqui tem outra profissão e isso acaba tirando um pouco do tempo.
    O Método Marvel pode funcionar se o roteirista e o artista tiverem um bom entrosamento, caso contrário eu não recomendo.

    ResponderExcluir