7 de mai de 2018

[Indicação de game] Horizon Zero Dawn


Desde que Horizon Zero Dawn foi anunciado, eu não via a hora de colocar as mãos nesse jogo. A imagem de uma jovem caçadora lutando contra dinossauros robô prometia um mundo diferente e inovador. Depois de zerar o game, preciso dizer que minhas expectativas não foram apenas cumpridas, mas superadas.

No game, assumimos o controle de Aloy, uma jovem que foi exilada ao nascer e passou toda a vida lidando com o desprezo dos membros da tribo dos Nora. Hábil caçadora e curiosa por natureza, ela embarca numa longa jornada para descobrir sua verdadeira origem. À medida que busca respostas sobre si mesma, Aloy também descobre a verdade por trás do fim da civilização dos Antigos e ao mesmo tempo percebe que ela própria é a chave para impedir que a humanidade desapareça em definitivo.

Já nos primeiros minutos, Horizon impressiona pelo visual belíssimo. A história se passa num futuro pós-apocalíptico, distante o bastante para quase não restarem mais traços da civilização dos Antigos (a nossa civilização, só pra constar).

O game é uma mistura de ação e RPG, além de apresentar um bom foco na exploração. Fiquei viciado nesse último elemento e com frequência perdia a hora para explorar mais cantos do mapa e juntar mais recursos. Mas certamente o que mais me chamou a atenção foram os seres que habitam esse mundo: máquinas cujo aspecto e comportamento lembram animais pré-históricos. Lutar contra elas é difícil, mas divertido. Chega a ser tentador desafiar um Tirânico (da imagem acima) ou um Arauto da Morte para uma batalha insana.

E apesar de tudo o que eu já disse, é no roteiro que Horizon Zero Dawn brilha de verdade. A trama é complexa e aborda elementos como meio-ambiente, preconceito, sacrifício e religião, entre outros. Meu lado autor não consegue deixar de pensar no quanto eu gostaria de ter escrito uma história como essa.

Pra encerrar, quero falar sobre a localização para português, que eu considero uma das melhores entre os games que já joguei, seja nas legendas, seja na excelente dublagem. Destaque para o maravilhoso trabalho de Tatiane Keplmair (a voz da Sakura, em Naruto) que dubla Aloy.

Enfim, não que esse seja um game perfeito (pessoalmente eu achei as missões paralelas um tanto rasas, assim como a maioria dos personagens secundários). Contudo, gostei tanto da minha experiência jogando Horizon Zero Dawn que qualquer problema parece pequeno.

Já entrou pra lista dos meus jogos favoritos!

Plataforma: Playstation 4
Gênero: ação, RPG
Estúdio: Guerrilla
Lançamento: 2017



Adquira por este link e ajude o blog a crescer:

Nenhum comentário:

Postar um comentário