28 de mar de 2016

[Resenha] La Corte de Los Espejos, de Concepción Perea

La Corte de Los Espejos foi lançado em 2013 e desde então eu esperava pela chance de ler essa obra. A razão dessa espera é a pouca difusão do livro. Em primeiro lugar, trata-se de um título inédito no Brasil e em segundo, mesmo na Amazon, só é possível encontra-lo em espanhol, seu idioma original. Agora, com o meu curso de espanhol chegando ao fim, me senti confiante o bastante para encarar uma leitura nessa língua.

A obra de Concepción Perea é uma história dark fantasy, ou fantasia sombria. Nesse subgênero, também se encaixam As Crônicas de Gelo & Fogo e A Saga do Bruxo (mais conhecida no mundo dos games como The Witcher). Assim como nas obras de fantasia clássicas, La Corte de Los Espejos se passa num mundo cheio de magia e raças exóticas. Nesse caso, inspirado nas lendas celtas. No entanto, a narrativa apresenta um clima mais adulto, onde intrigas de poder são tão letais quanto um duelo de espadas.

A trama tem início anos após uma grande guerra e, ainda que sejam tempos de paz, algumas velhas feridas permanecem abertas. Tudo começa a mudar quando um misterioso assassinato dispara uma série de eventos envolvendo todas as esferas: desde os elfos da nobreza à centauros selvagens, de uma montanha governada por goblins escravagistas ao bordel de luxo de um charmoso sátiro.

A personagem mais memorável do livro é Nicasia, uma mestiça meio-goblin/meio-nocker, dona de um temperamento explosivo, mas que também possui um grande senso de justiça e é extremamente habilidosa na construção de máquinas e marionetes mágicas. A outra figura central é o gato Dujal, um conquistador bon vivant que passa por uma interessante jornada de amadurecimento. Apesar de serem rivais, Nicasia e Dujal são ligados por uma figura em comum de seu passado e decidem unir forças na tarefa de descobrir quem está tentando perturbar a paz na corte.

Em termos de tamanho, La Corte de Los Espejos é um calhamaço de quase 700 páginas. O livro não tem pressa na hora de mergulhar na mente de seus personagens ou quando o assunto é apresentar o mundo mágico de TerraLinde. Ainda assim, a narrativa é bastante envolvente e os personagens tem muito carisma. Altamente recomendado para quem não tem problema com a língua espanhola. E fica a torcida para que chegue logo ao Brasil.

Autora: Concepción Perea
Páginas: 672
Editora: Fantascy
Ano: 2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário