17 de jan de 2012

[Resenha] Deuses

Deuses é mais uma antologia da editora Infinitum Libris. A proposta é apresentar contos usando entidades mitologicas como personagens.

É um livro que passou por muitos problemas durante a pré-produção, que não comento por não estar totalmente familiarizado. Além disso, obstáculos a parte, o que realmente interessa aos leitores é o material que vai chegar às suas mãos, certo? Por isso, vou análisar como leitor, deixando essas questões um pouco de lado.

Deuses é um e-book disponível para download gratuito em formato .epub. A primeira coisa que me chamou a atenção foi o pequeno número de páginas do arquivo: apenas 67. Bem menos do que outras antologias (das quais eu participei, pra quem não se lembra) como Lugares Distantes (108 págs.) e PsyVamp (118 págs.), isso apesar de serem 11 contos.

Quanto à apresentação, achei uma ótima ideia acrescentar ilustrações no começo dos textos. As imagens foram muito bem escolhidas e ajudam a dar o clima da leitura. Por outro lado, temos um certo número de erros de português. Nada grave, no geral, exceto pelo título do conto O Avesso do Exemplo, que aparece grafado com apenas um "s". É uma pena que, ao contrário de outras antologias da Infinitum, dessa vez não temos as biografias dos autores, já que essa era uma informação bem interessante.

Sobre os contos em si, a qualidade dos textos varia bastante, indo do excelente ao semi-amador. Os que mais destacaram, tanto na forma quanto na execução são os seguintes:

A Conspiração das Musas, de Gustavo Silva Matos: o conto possui um belo tom liríco e apresenta uma reflexão muito interessante sobre religião e fé.

Canção Pra Você Viver Mais, de Gian Danton: simples e bonito. Mesmo sem usar recursos complexos, trás uma história de amor cativante em uma trama direta e linear. (meu lado fã adorou a referência ao Pato Fu).

O Avesso do Exemplo, de Sarah Micucci: um conto interessante e curioso: em ritmo de fábula apresenta uma trama chocante de guerra e violência, lembrando os perigos desse caminho.

O Homem e as Araras, de Roberta Spindler: o que gostei desse conto foi a criatividade e o cenário diferente. Apesar de simples, a trama consegue prender a curiosidade do leitor.

Louva-a-Deus, de Ramon de Souza: com um estilo de prosa, temos uma mensagem extremamente atual sobre como a vida moderna pode nos fazer esquecer da espiritualidade.

Entre os demais, há alguns contos com nível razoável (e tem gente experiente nesse grupo) e outros que carecem de tramas e personagens melhor definidos.

Somando os prós e contras, Deuses não é a melhor publicação da Infinitum, mas sim, vale a pena uma conferida pois temos um bom número de contos de boa qualidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário