28 de dez de 2013

Melhores de 2013

Chegou a hora da última postagem do ano trazendo a minha lista com aquilo que vi de melhor na literatura, cinema, quadrinhos, TV e games. As obras que fazem parte dessa lista foram escolhidas de acordo com um único e específico critério: o meu gosto pessoal.

Mesmo assim, sintam-se a vontade para deixarem a sua opinião. Concordam, discordam? Acham que esses são os melhores? Lembrando que os vídeos abaixo e outros podem ser conferidos na minha playlist no Youtube.


MELHORES DE 2013


MELHOR LIVRO: O Espadachim de Carvão, de Affonso Solano


A obra de Affonso Solano conta a história de Adapak, um jovem de aparência exótica que parte em uma jornada em busca de sua verdadeira origem. O Espadachim de Carvão se destaca principalmente por apresentar um mundo fantástico totalmente novo, sem inspirações em mitologias conhecidas e consegue equilibrar a beleza da magia com os pecados da sociedade [leia a resenha completa].


MELHOR FILME PIPOCA: Jogos Vorazes - Em Chamas



No segundo capítulo da saga, Katniss Everdeen precisa lidar com as consequências de ter desafiado o regime ditatorial da Capital. Jogos Vorazes continua trazendo uma crítica feroz às chamadas políticas pão & circo e aos reality shows. É raro ver um blockbuster abordar temas tão delicados. O resultado é um filme maior e melhor que o primeiro em muitos aspectos. Empolgante e eletrizante, mas também faz pensar.


MELHOR FILME ALTERNATIVO: Juan dos Mortos



Juan dos Mortos é uma produção cubana de 2011 que só chegou aos nossos cinemas esse ano. No filme, vemos como o boa-vida Juan, acompanhado de sua filha e um grupo de amigos, lida com um ataque de zumbis em Havana. Esqueça o altruísmo dos heróis americano, aqui eles chegam a criar um serviço destinado a caçar mortos-vivos (por um bom pagamento, é claro): "Juan dos Mortos, matamos seus entes queridos". Comédia com muito humor negro.



MELHOR HQ DE SUPER-HERÓIS: The Movement


Enquanto a maioria dos heróis derrota vilões que querem dominar o mundo, The Movement (inédita no Brasil) mostra uma comunidade de super-humanos unida contra a falência do Sistema em uma cidade dominada por policiais desonestos e políticos corruptos (parece familiar?). Com roteiros de Gail Simone e arte de Freddie Williams II, essa é uma série que tem muito a ver com o momento atual do  nosso país. Os membros da equipe principal são (da esquerda para a direita): Kartasis, Burden, Ven, Virtue (a líder), Tremor e Mouse.


MELHOR ANIME/MANGÁ: Kami-Sama no Inai Nichiyoubi



O título em inglês desse anime é Sunday Without God (traduzindo, O Domingo Sem Deus). Em um mundo onde não há mortes e nascimentos, os hakamoris (coveiros) são os únicos que tem o poder de enviar uma alma para o além. Com 12 episódios, o anime acompanha a pequena Ai, uma jovem hakamori em uma jornada para salvar um mundo que parece estar além da salvação. Uma história bonita e contemplativa que medita sobre qual é o real significado de estar vivo.


MELHOR SÉRIE DE TV: In The Flesh (1ª. temporada)



E tem mais zumbis, dessa vez em um drama da BBC. In The Flesh começa após a humanidade sobreviver a um apocalipse zumbi. Os mortos-vivos que restaram agora recebem um tratamento especial para se reintegrarem a sociedade. É o caso de Kieren, um zumbi, suicida em sua vida humana e homossexual que retorna para seu lar em uma pequena cidade no interior, onde enfrentará o medo e o preconceito dos moradores, além de ter de lidar com as lembranças das coisas horríveis que fez. A temporada teve 3 episódios.


MELHOR GAME: Grand Theft Auto V



Mesmo em um ano repleto de jogos excelentes, o quinto capítulo da sempre polêmica série GTA consegue se destacar. O game de mundo aberto inova ao trazer, não um, mas três protagonistas: o ladrão de bancos aposentado, Michael, o rapaz do subúrbio, Franklin e o maníaco de carteirinha, Trevor em sua rotina de desafiar a lei para faturar alto em golpes arriscados. No caminho deles estão a máfia chinesa, traficantes mexicanos e agentes corruptos do governo [leia a resenha completa]

14 de dez de 2013

[Resenha] Sementes no Gelo, de André Vianco

Não sou um grande fã de histórias de terror. Poucos são os filmes do gênero me agradam (acho a maioria muito bobos) e o mesmo vale para os livros. Não que eu não aprecie a obra de H. P. Lovecraft ou um bom livro de Stephen King, só que esse está longe de ser meu tipo favorito de leitura. Mas como tenho lido muita fantasia decidi variar um pouco.

Acabei procurando Sementes no Gelo, de André Vianco por duas razões. Primeiro, ouvi muitos elogios à essa obra. Segundo, eu ainda não ter lido nenhum livro deste que é considerado um dos grandes autores nacionais da atualidade. Eu gostaria muito de dizer que gostei da experiência… mas estaria mentindo.

A trama é ambientada em Osasco e começa quando Tânio Esperança, um detetive particular sem dinheiro é procurado por sua velha amiga Lisete, que diz estar sendo atormentada pelo fantasma de um menino chamado Pedro. Ao mesmo tempo, mais crianças fantasmas são vistas pela cidade envolvidas em assassinatos brutais de estupradores, pedofilos e outros tipos de criminosos. De inicio, o detetive não acredita no sobrenatural, mas à medida que a investigação avança, Tânio percebe que os fantasmas não apenas são reais, como são diferentes de outros relatos de assombrações.

A primeira coisa que chama a atenção em Sementes no Gelo é seu tamanho diminuto. Com apenas 174 páginas a obra está mais para uma noveleta do que um romance e essa falta de espaço têm reflexos no livro como um todo.

Os personagens são bastante rasos. Não possuem diferentes facetas, motivações claras ou ambições, apenas reagindo às situações que são colocadas. Os diálogos são rasteiros e recheados de chavões. Parece até que os personagens estão lendo suas falas. Da mesma forma, a ambientação não é aproveitada. A história se passa em Osasco, mas poderia ser em qualquer outro lugar que não faria diferença, já que o autor se limita a citar nomes de ruas e locais que significam pouca coisa para aqueles que não conhecem a cidade.

A polícia é presença constante durante toda a trama, o que, na minha opinião, compromete o clima de tensão e suspense que se espera em uma história como essa (afinal de contas, quem chamaria a polícia para cuidar de um caso de fantasmas?). A trama não flui de forma natural, resultando em muitas situações forçadas. Para se ter uma ideia, em dado momento, o responsável simplesmente aparece diante do detetive Tânio e faz o imenso favor de contar todos os detalhes de seu plano.

Apesar de tudo isso, há pontos positivos para serem destacados. Vianco faz algumas referências interessantes a elementos do nosso cotidiano como o Jornal Nacional e a revista Época. As crianças-fantasma também são interessantes. Esqueça as almas penadas com assuntos inacabados. Aqui as assombrações ganham nova origem e novos poderes.

Sementes no Gelo definitivamente não me agradou, mas vale para aqueles que procuram uma leitura rápida e para quem quiser ver um tipo de fantasma diferente do tradicional.

FICHA TÉCNICA

SEMENTES NO GELO
Autor: André Vianco
Lançamento: 2002
Páginas: 174
Editora: Novo Século

7 de dez de 2013

HQ - Serpente de Fogo: Ataque ao Vilarejo

Como a maioria de vocês deve saber (mesmo que não acompanhem), estou publicando uma série literária do gênero dark fantasy com capítulos semanais disponíveis para leitura online gratuita: Serpente de Fogo. Logo no início da série somos apresentados à Mirya Clancey, que nos contará a saga de seus pais e também fala sobre a rivalidade com seu meio-irmão.

Hoje trago para vocês uma HQ curta contando uma pequena história extra estrelada por uma Mirya mais jovem do que aquela que vemos em Serpente de Fogo, e por Rodrick, o meio-irmão de Mirya. Não é preciso acompanhar a série para ler essa HQ, que tem apenas 4 páginas e é auto-contida (tem começo, meio e fim). A arte é de Rafa Lee.

Clique na imagem para ler.



E aqui, o roteiro original em full script (download via 4Shared)