19 de out de 2013

[Resenha] O Espadachim de Carvão, de Affonso Solano

Não é segredo para ninguém que a literatura fantástica nacional está ganhando cada vez mais espaço e um dos livros mais comentados do ano é O Espadachim de Carvão, de Affonso Solano, publicado pela editora Casa da Palavra, através do selo Fantasy. Tantos elogios podem funcionar como uma faca de dois gumes, já que criam expectativas muito altas, como as que eu tinha quando comecei a ler.

Mas a obra de Solano não deixa por menos e consegue fazer jus à fama!

A história é ambientada no mundo fantástico de Kurgala e acompanha a saga do jovem guerreiro Adapak. Filho de um deus, ele passou a maior parte de sua vida oculto do mundo, adquirindo conhecimento e treinando para se tornar um espadachim sem igual. Porém, o ataque das forças de um misterioso inimigo obriga Adapak a partir em uma jornada para descobrir quem deseja matá-lo e qual é sua verdadeira origem.

Kurgala é um lugar que realmente chama a atenção. Enquanto a maioria das obras de fantasia busca inspiração em mitologias clássicas como a grega ou nórdica, Affonso Solano nos apresenta um mundo totalmente novo, povoado figuras exóticas, a começar pelo próprio Adapak: preto (ele não é afro-descendente, sua pele é mesmo da cor preta), de olhos totalmente brancos e sem orelhas.

O universo do livro ainda tem mitologia própria e é habitado por dezenas de raças nunca antes vistas, como lindas donzelas de pele roxa, homens-polvo de olhos gigantes, guerreiros de três braços, entre muitos outros. Prepare-se para exercitar sua imaginação!

A narrativa de Solano é sinérgica e flui de forma bastante agradável e envolvente. Muitas vezes o autor utiliza a ingenuidade de Adapak sobre o mundo para criticar a sociedade.

São muitos os pontos positivos do livro, mas também há ressalvas. O texto não costuma relembrar as características de cada raça e, como são muitas, me vi confuso em alguns momentos sobre a aparência deste ou daquele personagem. O clímax da trama vem de uma forma um tanto abrupta, acompanhado de um longo discurso do vilão explicando todos os detalhes do seu plano – algo que não fica legal.

O final do livro lembra mais a conclusão de um arco do que de uma história completa, deixando muitas pontas soltas para serem atadas no segundo volume.

Não costumo comentar sobre o preço dos livros que resenho, mas nesse caso, acho que é uma discussão válida. O valor cobrado varia de algo em torno de 25 reais podendo chegar até a 35 reais em algumas livrarias (salgado para um livro de meras 250 páginas).

No fim, O Espadachim de Carvão é uma ótima experiência e os pontos negativos são pequenos comparados com suas qualidades e não comprometem a ótima experiência. Recomendado!

FICHA TÉCNICA
O ESPADACHIM DE CARVÃO

Autor: Affonso Solano
Lançamento: 2013
Número de páginas: 250
Editora: Casa da Palavra

2 comentários:

  1. Que bom que tenha gostado! X)
    Li e recomendo também! XD
    Apenas alguns pontos técnicos a adicionar:

    - A Editora Casa da Palavra é parceira da Editora LeYa, a mesma de "Dragões de Éter". A Editora LeYa cuida da parte de marketing, distribuição e estratégia de vendas da Casa da Palavra.

    - A Casa da Palavra é a mesma editora de "O Inverno das Fadas", de Carolina Munhoz.

    - O Coordenador do Selo Fantasy é o Raphael Draccon. (Essa nem eu sabia! Acabei de ver.) O.o

    Já fica a dica pra outras leituras! ^^
    E até onde eu sei, Affonso Solano já está preparando a continuação e, para quem quiser conhecer Kurgala, há um mapinha fantástico no site do livro! \o/
    Pena não vir impresso dentro do livro como nas Crônicas dos Senhores de Castelo... >.<

    É isso... =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom adendo, Victorio. Obrigado pelo comentário!

      Excluir