17 de ago de 2013

[Game] Bioshock Infinite

Bioshock Infinite começa com o protagonista Booker DeWitt sendo conduzido de canoa à um farol debaixo de uma forte chuva. Ele tem um revolver, a foto de uma jovem e uma ideia em mente: "Entregue a garota, livre-se da dívida". A garota em questão é Elizabeth, uma jovem misteriosa que possui o poder de abrir portais dimensionais. Ela é mantida cativa sem qualquer contato com o mundo exterior em uma torre na cidade voadora de Columbia. Claro que essa não será uma missão fácil, já que o Songbird, um pássaro de metal gigante vai fazer de tudo para impedir que Elizabeth deixe a cidade.

Apesar de eu curtir jogos de tiro em 3º pessoa, não sou assim tão fã de tiro em primeira pessoa. Mas quando vejo um game com uma premissa tão interessante e um background tão rico, eu simplesmente preciso jogar! Sou o tipo de jogador que valoriza mais uma boa história do que o gameplay (embora eu concorde que uma mecânica de jogo ruim estraga qualquer roteiro).

O jogo é ambientado em 1912 e combina o retrô com elementos steampunk, com uma tecnologia improvável, como cavalos mecânicos. Toda a história gira em torno de Elizabeth: seu poderes, seu passado e o futuro que o líder de Columbia, Comstock planeja para ela. Tão logo chega à cidade, Booker se vê dentro de uma igreja, e de fato, a religião é quem comanda tudo aqui. Comstock é venerado pelos moradores que o chamam de "O Profeta".

Mas nem tudo são flores. Enquanto a elite de Columbia é formada por brancos em sua maioria, os membros do movimento rebelde Vox Populi são quase todos negros, cujos métodos são tão questionáveis quanto os do Profeta. Como dá pra ver, esse é um jogo que não foge de temas complexos.

Outra questão que os poderes de Elizabeth deixam no ar é: "o que você faria se tivesse outra chance? se pudesse viver outras vidas?".


Em Bioshock Infinite, a visão em primeira pessoa não é só um aspecto técnico, é uma escolha artística. A ideia dos produtores da Irrational Games é que você veja tudo com seus próprios olhos. Desde a cena de abertura na canoa até o final do jogo, tudo é visto em primeira pessoa, não há nenhuma cutscene onde Booker seja visto do ponto de vista de um observador "de fora". Você não vai ver os inimigos chegando até que se vire na direção certa. E há muito para ser visto. Columbia é um lugar deslumbrante! Alguns cenários são belíssimos, outros são sombrios, mas todos de um realismo impressionante!


Elizabeth estará ao seu lado durante 99% do tempo, mas você não precisa protegê-la durante as lutas. Ao contrário, ela ajudará jogando munição e itens de cura, o que faz dela uma excelente parceira. Na verdade, desde Ico eu não via um game que investia tanto na relação do jogador com um personagem do jogo.

Em resumo, Bioshock Infinite combina tudo que um grande game deve ter: uma história inteligente, um ótimo gameplay, personagens carismáticos e um cenário espetacular! Sério candidato a jogo do ano!

2 comentários:

  1. Estava em dúvida. Agora fiquei com água na boca, vou comprar!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um ótimo jogo, Ton!

      Valeu pelo comentário!

      Excluir