12 de fev de 2011

[Dicas para escrever] Vamos pesquisar...

Esse é um post do início do blog que eu decidi trazer de volta. Como se trata de um assunto da maior importância para nós, autores, eu dei uma atualizada nos tópicos e complementei um pouco mais o assunto.

Talvez o trabalho mais cansativo na hora de escrever um roteiro, livro e afins seja a pesquisa. Isso porque costuma ser uma tarefa que consome tempo, e muitas vezes não é nada fácil achar a informação desejada.

Quando eu estava escrevendo o roteiro de Linha de Fogo, procurei descobrir quais eram as armas usadas pelas tropas americanas em missão no Afeganistão e Iraque, e também quais eram mais usadas pelas milícias Talibãs. Na hora de escrever A Caveira fui direto a fonte, o roteiro da peça de Shakespeare.

Quando se trata de histórias de época, parece óbvio a importância da pesquisa, evitando erros na linha de tempo e permitindo uma reconstrução fiel do cenário. Mas não se deve dispensar a pesquisa em histórias contemporâneas, já que é vital você conhecer a geografia e a cultura da cidade onde a ação se passa. Mesmo quando se retrata mundo de ficção cientifica e fantasia, é importante conhecer bem o assunto, dando uma base sólida para sua imaginação.

Existem várias formas de fazer uma pesquisa, todas com seus prós e contras.

Internet
É de longe o método mais prático e acessível de todos. Ao fazer uma busca no Google é comum aparecem sites que nada tem haver com o assunto procurado. Temos também o caso da referência cruzada: você faz uma pesquisa por bruxaria, e vai parar em um fórum de Harry Potter. E ainda há a questão da fonte ser confiável, mas com paciência e persistência é possível alcançar bons resultados.
O Google Street View é um ótimo recurso para quem quer falar sobre alguma cidade que não conhece, pois permite que você "caminhe" livremente pelas ruas da cidade em questão.

Biblioteca
Uma visita a biblioteca pode trazer resultados melhores porque você vai direto ao assunto que procura, com grandes chances de encontrar um livro inteiro com uma pesquisa aprofundada sobre o tema que você quer escrever. É claro que se a biblioteca mais próxima não tiver um grande acervo, os resultados podem não ser os esperados.

Documentários
Documentários são outra grande fonte de informação, afinal eles já fizeram todo o trabalho duro por você. Através de documentários também é possível ter acesso a arquivos históricos, relíquias, e outras coisinhas de difícil acesso. Os melhores e mais confiáveis canais de documentários são: Discovery Channel, The History Channel, National Geographic, Animal Planet e BBC.

Entrevista
Uma boa forma de garantir informações avalizadas é falar com um(a) especialista no assunto. Isso permite a você sanar dúvidas bem mais específicas. Na hora de uma entrevista não confie apenas na memória, grave a conversa, ou caso se comuniquem via chat, salve as mensagens trocadas. E não se esqueça de creditar o nome do especialista entrevistado. A maior dificuldade aqui é que, nem sempre haverá expert disponível, ou ele(a) pode não ter tempo hábil para isso.

Pesquisa de Campo
Esse é um recurso muito usado por autores de livros. Significa simplesmente, visitar o lugar onde a sua história se passa. Se o seu personagem é carioca, faça as malas e vá até o Rio de Janeiro, converse com as pessoas, e de preferência, consiga um guia que lhe conte curiosidades sobre um determinado local. Você também pode viver experiências pelas quais o personagem irá passar, e assim, escrever com base no que você mesmo sentiu. O autor britânico Ken Follet pilotou um caça restaurado da Primeira Guerra Mundial para escrever o livro O Voo da Vespa! Desnecessário dizer que o obstáculo desse tipo de pesquisa é a questão financeira.

Uma boa pesquisa demanda tempo e paciência, mas também demonstra profissionalismo, respeito com os leitores e aumenta a qualidade do seu texto final. Pesquisar, é preciso.

2 comentários:

  1. Sobre os canais de documentário, fica a ressalva.
    Será que eles fizeram realmente o que vc menciona. Tenho minhas dúvidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso varia de programa para programa, João. Há uma série do Nat Geo chamada Arquivos Confidenciais que fala sobre figuras histórico/lendárias como Rei Arthur, Robin Hood, Marco Polo, etc, que apresenta pesquisas realmente aprofundadas, mostrando texto históricos, analisando obras de arte e coisas assim.

      Obrigado pelo comentário.

      Excluir