28 de set de 2013

O lado negro do mercado editorial

Existe uma quantidade razoável de podcasts de literatura disponíveis na rede e um dos que costumo acompanhar com frequência é o CabulosoCast, do site Leitor Cabuloso. Vale a pena conferir muitos dos seus episódios, mas um em especial, é quase obrigatório para os novos escritores que ainda buscam seu espaço (meu caso).

Estou falando do CabulosoCast #59: O Dark Side do Mercado Editoral, que foi ao ar algumas semanas atrás aproveitando o barulho da polêmica declaração de Raphael Draccon sobre a realidade atual dos autores e editoras.


Com certeza, um programa indispensável para quem quer conhecer melhor os bastidores da literatura nacional.

15 de set de 2013

Tabula Rasa entrevista Joe de Lima

O site Tabula Rasa, especializado em literatura e cultura pop em geral colocou uma entrevista comigo feita pela Anny Lucard onde falo sobre minha formação como autor, Serpente de Fogo e os planos para meu primeiro romance. Quem quiser conferir, basta clicar no link abaixo.

"Joe de Lima é roteirista, iniciando como autor de contos ao publicar algumas de suas histórias em antologias. Tem vários trabalhos e projetos interessantes, que inclui a história online (para leitura gratuita) ‘Serpente de Fogo’, série de dark fantasy que tem os capítulos disponibilizados semanalmente, todas às quartas, no www.baudojoe.blogspot.com.br

O autor se descrever como uma pessoa caseira, que ele acredita influênciar seus textos sempre voltados as críticas sociais..." [continua a leitura]

7 de set de 2013

Top 5 - Heróis que poderiam virar série de TV

Agents of SHIELD, o seriado que expande o universo Marvel dos cinemas para a TV está chegando! A estréia nos Estados Unidos será no próximo dia 24 e dois dias depois (26/09) chega ao Brasil pelo canal Sony. Que melhor momento para falar sobre essa velha parceria entre heróis e telesséries?

Muitos shows já levaram os supers às telinhas. Entre essas produções podemos encontrar clássicos como Adventures of Superman (1951), o icônico Batman (1966) e O Incrível Hulk (1978); pequenas pérolas como Mulher-Maravilha (1975) e Lois & Clark: The New Adventures of Superman (1994); além de algumas bolas fora como Witchblade (2001) e Birds of Prey (2002); até chegarmos aos tempos recentes com o sucesso Smallville (2001), o seriado Arrow (que estreou no anos passado e vai para a segunda temporada) e o já citado Agents os SHIELD.

Aproveitando a deixa, fiz um ranking com cinco heróis que eu acredito que poderiam render boas séries de TV. Essa lista segue dois critérios: primeiro, tem que ser algo dentro da realidade de um seriado, e o segundo é que esse herói nunca tenha estrelado seu próprio show antes.

Deixe nos comentários se você concorda com a lista ou se acha que alguém ficou de fora, afinal, todos sabem que listas só servem mesmo para gerar discussão

5. Manto & Adaga

Tandy Bowen, a Adaga, possui o poder de disparar adagas de luz que podem ser usadas em ataque, mas também podem curar; Ty Johnson  pode se teletransportar usando seu manto negro e também projetar uma onda de sombra. Ambos são mutantes que tiveram seus poderes despertados após usarem uma droga experimental. A dupla teve um pico de popularidade nos anos 80, hoje não são tão conhecidos, mas ainda tem potencial.

Como ex-viciados, as histórias de Manto & Adaga abordam a questão do vício na adolescência e da criminalidade nas ruas. Uma série estrelada pelos dois deveria se focar mais no drama dos personagens do que no uso de poderes, além de trazer um óbvio contexto social.

4. Red Sonja

Quando sua família foi atacada e morta, Sonja foi abençoada por uma deusa, ganhando uma habilidade insuperável com a espada, mas há uma condição: ela só pode se entregar a um homem se ele a derrotar em combate primeiro ou perderá as bençãos da deusa. Sonja vive em um mundo dark fantasy cheio de feiticeiros malignos, bestas antigas e reis ambiciosos. Não estranhe se parece com Conan, de fato, os dois pertenceram ao mesmo universo durante muito tempo.

O sucesso de Game of Thrones mostra que séries de fantasia adulta podem emplacar e já que é assim, por que não uma série estrelada por um heroína forte e sensual, com uma pouco mais de ação do que GoT? Desde que se mantenha o clima maduro das histórias.

3. Demolidor

Ainda criança, Matt Murdock sofreu um acidente que lhe tirou a visão, mas aguçou seus demais sentidos e ainda fez com que ele desenvolvesse um apurado sentido de radar. Na vida adulta, Murdock divide seu tempo como o herói Demolidor e como um brilhante advogado. O Homem Sem Medo é um herói de muitas faces, mas na maior parte do tempo ele combina o lado sombrio do Batman com a irreverência do Homem-Aranha.

Sendo um herói urbano, Demolidor enfrenta vilões relativamente normais, como a ninja Elektra e o Rei do Crime, mas como também é advogado, uma série do herói apresentaria uma mistura perfeita entre uma trama realista, com espaço para dramas de tribunal e as alegorias dos supers.

[AT] Pouco depois da série do Constantine, foi confirmada a série do Demolidor, com produção do Netflix. [fim da AT]

2. Constantine

John Constantine teve uma vida tumultuada desde o início. Sua mãe morreu ao dar a luz, o pai alcoólatra foi preso, seu irmão gêmeo o odiava. Em meio a tudo isso, John descobriu ter uma aptidão natural para magia. Mais velho, ele saiu em viagem pelo mundo, aprendendo tudo que podia sobre ocultismo e satanismo, tornando-se um detetive do sobrenatural e um dos maiores magos do mundo, além de ser um fumante incorrigível e um trapaceiro sem igual. Para ele, os fins justificam os meios.

Não é difícil imaginar uma série de TV estrelada por Constantine à la Supernatural. Mas para uma adaptação fiel às HQs seria importante ter uma classificação mais alta (e não 13 anos, como o filme de 2005), afinal demônios, sexo e magia negra fazem parte do cotidiano de John.

[AT] Cerca de três semanas após essa postagem, foi noticiado que Constantine vai mesmo ser adaptado para a TV. Os roteiros serão de David S. Goyer [fim da AT]

1. Justiceiro

Após sua esposa e filhos serem brutalmente assassinados, o veterano do exército Frank Castle começou uma guerra particular contra a mafia e o crime organizado como o anti-herói Justiceiro. Em sua jornada para limpar as ruas, Castle utiliza de qualquer meio necessário: assassinato, tortura, extorsão, suborno e o que mais for preciso para aplicar sua filosofia: bandido bom é bandido morto. Graças a seu treinamento militar, o Justiceiro é um especialista em táticas de guerrilha e em inúmeras armas de fogo.

Justiceiro encabeça essa lista por ser o herói mais facilmente adaptável para uma série de TV. Seus inimigos são criminosos em geral, policiais corruptos, traficantes e qualquer um que se envolve em atividades ilegais. Após três tentativas mal-sucedidas no cinema (apesar de eu ter curtido o filme de 2004, estrelado por Thomas Jane), talvez seja a hora de uma chance na telinha. Também seria um sopro de novidade para o desgastado gênero das telesséries policiais.