30 de jun de 2010

[Dicas para escrever] Tipos de Roteiro: Layout


Encerrando essa trilogia sobre os principais tipos de roteiro, vamos falar hoje sobre Layout.

Lembrando que os outros dois tipos mais comuns, o Full Script e o Método Marvel já foram comentados aqui e aqui.

Layout

Apesar de não fazer tanto sucesso lá fora, o Layout (também chamado de Rafe) é bastante usado aqui no Brasil, sendo o estilo preferido de roteiristas como Alexandre Nagado e Wellington Srbek, além de ser utilizado na produção das revistas da Turma da Mônica.

O layout é basicamente um esboço da HQ feito pelo próprio roteirista, mostrando assim como deve ser a diagramação, os ângulos, as poses dos personagens, etc, etc...

A maior vantagem do layout é oferecer ao roteirista controle absoluto sobre o resultado final da história, aqui a liberdade do artista é praticamente zero. A desvantagem é que o roteirista deve ter boas noções de diagramação e narrativa visual.

Alguns layouts já vêm com o texto escrito à mão, outros trazem apenas indicações nos balões, e o texto vem em algum documento separado, ou digitado abaixo dos quadros. Esse último é o caso do layout que eu desenhei de SUZANA & JÚLIO. O texto está ai embaixo e o layout você pode conferir acima:

SUZANA & JÚLIO - Joe de Lima
PÁGINA 01

1. "É sério, Júlio..."
2. ...essa prova do ENEM vai acabar comigo!
3. Nem me fale. Eu ainda vou morrer de tanto estudar!
4. E pensar que eu ainda tenho treino de handebol hoje!
5. Não sabia que você estava no time, Suzana.

Pessoalmente, eu não gosto muito desse tipo de roteiro. Acho que limita demais a mão do desenhista.

Bom, é isso. Agora que você já conhece todos os tipos de roteiro, suas vantagens e desvantagens, pode escolher qual deles combina melhor com seu estilo narrativo. Então não fique aí parado, comece a escrever!

23 de jun de 2010

[Dicas para escrever] Guia Oficial DC Comics de Roteiro


Pra quem quer saber mais sobre como escrever e estruturar um roteiro, e principalmente para quem quer conhecer melhor o jeito DC Comics de fazer quadrinhos, aqui vai uma dica valiosa direto do blog do meu amigo Marius.

É um guia oficial escrito por Denny O'Neal, um dos cobras da DC.

Clique aqui para acessar o blog Hadrian Marius, e ver o link para download.

Leitura indispensável.

15 de jun de 2010

[Dicas para escrever] Tipos de Roteiro: Método Marvel


Já falamos sobre como formatar um roteiro Full Script (você não viu? Clique aqui).

Agora vamos falar sobre outro tipo de roteiro, o Método Marvel.

Método Marvel

Também chamado de ARGUMENTO ou MARVEL WAY, esse tipo de roteiro foi criado por Stan Lee em meados dos anos 1960. Nessa época Lee assinava inúmeros títulos: Homem-Aranha, Quarteto Fantástico, X-Men entre outros. Teria sido muito difícil escrever tantos roteiros ao mesmo tempo utilizando o Full Script, por essa razão Stan Lee desenvolveu um tipo novo de roteiro: o Método Marvel.

Funcionava assim, em poucas linhas Lee fazia um resumo de uma história inteira. Veja um exemplo:

O Duende Verde foge da cadeia e seqüestra Mary Jane. Seguindo as pistas deixadas no local do crime, o Homem-Aranha encontra seu inimigo e sua amada no alto da ponte Hudson. Herói e vilão lutam. Quando percebe que vai ser derrotado, o Duende derruba Mary Jane da ponte, mas o Aranha consegue salvá-la. O vilão foge prometendo vingança.

Com essa sinopse em mãos o desenhista ilustrava toda a história (a diagramação ficava toda a cargo do do próprio artista) e, só depois, Lee voltava para escrever os diálogos (deve por isso que os diálogos que ele escrevia nesse período eram tão estranhos!)

Com o tempo o Método Marvel evoluiu um pouco. Atualmente, o roteirista escreve um pequeno resumo para cada página, mas ainda cabe ao desenhista toda a parte da diagramação. Os diálogos, agora já vêm no roteiro.

Vejamos como o roteiro de SUZANA & JÚLIO ficaria no Método Marvel:

SUZANA & JÚLIO – Joe de Lima
PÁGINA 01
Uma casa em um bairro de classe média. Suzana e Júlio estudam na sala de estar, em meio a muitos livros. Suzana é loira e usa um top e uma bermuda jeans. Júlio é moreno e veste uma camisa e bermudão. Eles conversam, de forma bem-humorada sobre o cansaço dos estudos. Ela se queixa de ainda ter treino depois.
SUZANA – É sério, Júlio. essa prova do ENEM ainda vai acabar comigo!
JÚLIO – Nem me fale. Eu ainda vou morrer de tanto estudar!
SUZANA – E pensar que eu ainda tenho treino de handebol hoje.
JÚLIO – Não sabia que você estava no time, Suzana.

Como dá pra ver, o Método Marvel dá muito mais liberdade para o artista.


A grande vantagem desse tipo de roteiro é permitir que, assim como Stan Lee, você possa lidar com vários projetos simultâneos. A maior desvantagem é que o estilo do desenhista se sobrepõe ao seu estilo narrativo.

Sobre isso, Gian Danton faz o seguinte comentário em seu livro Como Escrever Histórias em Quadrinhos: “Pegue histórias dos X-Men de vários desenhistas, mas todas escritas por Chris Claremont. As histórias desenhadas por John Byrne são completamente diferentes daquelas desenhadas por Bill Sienkiewicz. Parece que são escritas por pessoas diferentes.”

Já vimos como o desenhista Rafa Lee desenhou SUZANA & JÚLIO seguindo um roteiro Full Script. Agora veja acima como ele ilustrou a mesma página, mas dessa vez, seguindo a versão do Método Marvel.

Pra completar essa trilogia, eu volto falando sobre o Layout.

12 de jun de 2010

Quadrizine: A Revista de Quem Faz Quadrinhos


Já está à venda a revista Quadrizine (editora Infinitum), um projeto comandado pelo meu amigo Angel, a revista trás conteúdo com dicas sobre criação de roteiros e personagens, portfólio e outras coisas.

Confira o link para o microblog oficial da revista.
http://editorainfinitum.com.br/quadrinize/

O preço da Quadrizine é apenas R$ 2,90.

9 de jun de 2010

[Dicas para escrever] Tipos de roteiro: Full Script


Existem basicamente 3 grandes formas de formatar um roteiro: Full Script, Método Marvel e Layout. Não dá pra dizer qual é a melhor, cada uma delas oferece vantagens e desvantagens.

O entrosamento com o artista e o nível de controle que você quer ter sobre o resultado final também devem ser considerados antes de decidir qual tipo de roteiro você pretende usar.

Hoje vamos falar sobre o tipo que eu mais uso aqui no blog, o Full Script. Depois falaremos sobre os outros dois.

Full Script

Esse é o tipo mais comum de roteiro. Nele você deve fazer uma descrição detalhada quadro-a-quadro da história, incluindo também os diálogos, os sons e qualquer outro texto que apareça. Você também pode usar esse espaço para fazer considerações sobre os personagens e sua psicologia, como a colorização deve ser feita, e qualquer outra informação que julgue importante. Por exemplo:

Apesar dessa situação ruim, Suzana mantém uma atitude positiva.

Ou...

Essa página deve ser colorizada apenas em tons de azul.

Seja objetivo, evite divagações e lembre-se: o desenhista não imagina as coisas do mesmo jeito que você. Se você quer que o Cebolinha apareça usando uma fantasia de Super-Homem, escreva:

Cebolinha está usando uma fantasia de Super-Homem.

Se você escrever assim...

Cebolinha está usando um colante azul e capa vermelha.

...o resultado pode não ser o esperado.

Para formatar um roteiro Full Script você deve começar com uma folha de rosto com o título da história e o nome do autor. Depois escreva o número da página, o número do quadro seguido de sua descrição, e abaixo do quadro, as falas dos personagens. Sons e onomatopéias também devem ser descritos aqui.

Exemplo:

SUZANA & JÚLIO – Joe de Lima

PÁGINA 01
– QUADRO 01. Panorâmica. Vemos a fachada de uma casa em um bairro de classe média. É uma casa moderna, com janelas verticais e um telhado fugindo daquele padrão de sempre. A casa também possui um gramado e uma garagem.
CAP/SUZANA – “É sério, Júlio...”

– QUADRO 02. Panorâmica. Agora estamos dentro da sala de estar. Faça um ambiente moderno e confortável, com sofás, mesa de centro, quadros, etc. Suzana e Júlio estão sentados no chão, com um monte de livros e cadernos sobre a mesa. Os dois têm uns 19-20 anos. Suzana é loira e usa um top e uma bermuda jeans. Júlio é moreno e veste uma camisa e bermudão. Os dois estão cansados de estudar (que novidade...). Apesar do cansaço, ambos mantém o bom humor.
SUZANA – ...essa prova do ENEM ainda vai acabar comigo!
JÚLIO – Nem me fale. Eu ainda vou morrer de tanto estudar!

– QUADRO 03. Quadro mais fechado. Suzana se espreguiça enquanto Júlio folheia um livro.
SUZANA – E pensar que eu ainda tenho treino de handebol hoje.
JÚLIO – Não sabia que você estava no time, Suzana.

Note como o nome do personagem sempre deve aparecer antes de sua fala, sem essa informação, o desenhista e o letrista podem se confundir.

Certo:
SUZANA – E pensar que eu ainda tenho treino de handebol hoje.

Errado:
– E pensar que eu ainda tenho treino de handebol hoje.

A principal vantagem do Full Script é combinar um maior controle do roteirista, e ainda assim permitir que o desenhista tenha certa liberdade. Seu problema é ser o tipo de roteiro mais trabalhoso e que toma mais tempo.

Acima vocês podem ver como o desenhista Rafa Lee desenhou esse roteiro (confira a segunda parte dessa série, falando sobre o Método Marvel).

8 de jun de 2010

Diversão à moda oriental no Kodama DF


Os personagens de desenho animado ganharam vida e saltaram da tela para a vida real. Quem visitou a 9ª Konvenção de Animes e Mangás (KodamaDF), realizada neste sábado (29/5) e domingo (30/5) — na Universidade Paulista (Unip), na 913 Sul —, teve essa sensação. Os visuais eram no mínimo inusitados. Jovens com fantasias elaboradas, cabelos coloridos, espadas de samurai, cetros mágicos. Cerca de 10 mil pessoas compareceram ao local.

Com o intuito de reunir os jovens okatus (fãs) e curiosos, o encontro contou com salas de exibição de animes, estandes de comida oriental, feira medieval, oficinas de quadrinhos e concurso internacional de cosplay, o World Cosplay Summit (WCS) — promovido pela TV AISHI(Japão) e organizado no Brasil pela Editora JBC . "Hoje o mercado de quadrinhos está concentrado em São Paulo e é muito ativo no nordeste. A ideia é divulgar e fortalecer essa cultura aqui em Brasília", diz Márcia Conceição Souza e Coelho, coordenadora do evento. Um dos destaques foi a palestra de Fábio Yabu, criador dos desenhos Princesas do Mar e Combo Ranger.

Exposição de quadrinhos
Quem compareceu à 9ª edição do Kodama conferiu o melhor dos quadrinhos. Com mais de um século de existência, o mundo dos quadrinhos sempre teve poucas mulheres trabalhando na área. Mas a situação que vem mudando ao longo das últimas duas décadas com um crescente interesse delas.

É o caso de Verônica Silva de Souza Saiki, que expôs quadrinhos japoneses, os famosos mangás, além de cartoons, durante o evento. "As pessoas ainda não tem o costume de ler os fanzines. E ainda não dá para viver disso no Brasil. Por isso, aproveitamos o evento para divulgar", destaca. Desde 2007, a brasiliense publica por própria por conta própria o título Verdugo, o inacreditável.


História
O WCS é um campeonato de cosplay, originalmente criado no Japão. Cosplayer é o nome dado para as para pessoas que se vestem e atuam como seus personagens preferidos de Animes (desenhos) e Mangás (quadrinhos) japoneses.

fonte: www.correiobraziliense.com.br