24 de fev de 2010

Frank Miller: ex-gênio ou ruim de próposito?


Outro dia participei de um debate no blog Roteiro de Quadrinhos sobre Frank Miller. Em uma resenha da graphic novel Batman: O Cavaleiro das Trevas 2 veio à tona a questão se Miller ainda é o velho gênio de outrora.

Pra quem não tá entendendo nada, aqui vai o resumo da ópera.

Frank Miller é roteirista/desenhista. Sua era de ouro foi durante as décadas de 1980 e 90, quando, ao lado de feras como Alan Moore e Neil Gaiman, promoveu uma revolução nos comics, introduzindo o conceito de quadrinhos para adultos.

Nesse tempo, Miller produziu Batman: O Cavaleiro das Trevas, 300, Sin City, A Queda de Murdock, e (sem a mesma badalação, mas com a mesma qualidade) Ronin e Marta Washington.

Todas essas histórias são clássicas! E o que elas têm de tão íncrivel? Você pode perguntar. Além da estética inconfundível de Miller, essas obras se destacam pela sua narrativa cinematográfica. Em O Cavaleiro das Trevas, o roteiro mergulha fundo na psicólogia do Homem-Morcego, mostrando um grande duelo entre Bruce Wayne e Batman. Já 300 é um deleite visual, cheia de páginas duplas e splash pages.

Então vieram os anos 2000 e começaram os problemas. De lá pra cá, Frank Miller não fez nada que prestasse, mas para seus ferrenhos defensores, há um motivo para isso: supostamente, ele quer provar que, atualmente é possível vender horrores, mesmo com uma história horrorosa. Em outras palavras, Frank Miller está sendo ruim de próposito.

Primeiro foi O Cavaleiro das Trevas 2, que nada tinha de brilhante ou genial, na verdade, a história mais parece algum roteiro de Super Amigos, cheia de cores berrantes e diálogos vazios. Mais recentemente, Frank se juntou ao ótimo desenhista Jim Lee para criar All-Stars Batman & Robin, a idéia era repaginar a origem da Dupla Dinâmica, mas na prática temos um série que se apóia em mulheres semi-nuas e violência sem sentido. Além de algumas passagens ridiculas, como quando Batman se pinta da cabeça aos pés de amarelo para bater de frente com o Lanterna Verde (Santa falta de noção, Batman!)

Nem vou falar do filme Spirit, adaptação da obra suprema do mestre Will Eisner. Miller escreveu o roteiro, dirigiu o filme e cuspiu na lâpide de seu mentor.

Pra mim, essa história de ruim de próposito não cola. Em sua grande fase, Miller não precisava de justificativa para ser lido, ele era um gênio! Ponto. Tudo isso só prova que a tietagem só vê aquilo que quer ver. Fica aqui a expectativa de que algum dia Frank se canse dessa "brincadeira" e volte a ser bom de próposito.

16 de fev de 2010

Guia das Editoras - parte 4: American Manga


Chegamos a parte 4 do Guia das Editoras. Dessa vez falando sobre American Mangá.

(Clique aqui para ver o Guia completo)

Muitas editoras que apareceram na parte 3 do Guia trabalham com mangá, mas hoje vamos falar das editoras especializadas nessa área.

Começamos com aquelas editoras que não estão aceitando submissões, no momento, mas sempre vale ficar de olho. A Tokyopop, por exemplo, não faz muito tempo estava aceitando envio de material, e pode fazê-lo de novo a qualquer momento.

eigoMANGA (Your Half)
Não possui área de susmissões na sua home page.

Seven Seas (Avalon)

Não possui área de submissões, mas conta com um fórum para saber das novidades.

Tokyopop (Vampire Kisses)
Como eu já disse, no momento não recebe material, mas abrir as portas novamente, em breve.

Yen Press (Gossip Girl)
Aceita apenas fanarts, que devem ser enviadas junto com uma autorização assinada. A aturorização pode ser baixada no site.

Agora vamos para a lista de editoras abertas à envio de material.

Antartic Press (Gold Digger)
A editora tem preferência por projetos de minisséries de 1 a 4 edições. Se você tiver algum trabalho publicado, pode enviar um link. Roteiristas podem enviar uma sinopse de 1 a 4 páginas, acompanhada de uma folha de rosto contendo uma visão geral da história, incluíndo o número total de edições e o número total de páginas por edição. Artistas devem enviar um edição completa (22 a 30 págs.) ou pelo menos, já arte-finalizada de arte em sequência.

CMX Manga (Crayon Shin-chan)
Editora ligada ao grupo DC Comics. Procura novos artistas através do DC Talent Search, que já explicado na parte 2 do Guia.

Del Rey Manga (Alive)

A Del Rey Manga não aceita novas propostas sem desenhos, se você é roteirista terá que montar uma equipe primeiro. Uma prospota deve conter uma descrição do conceito da história, um plot detalhado (1 a 2 págs.), descrição dos personagens principais e o primeiro capítulo com 10 a 20 páginas. Artistas devem enviar um portfolio com páginas de mangá, não ilustrações.

Go Comi (Ultimate Venus)
Está a procura de artistas, tradutores e adaptadores. Interessados devem enviar um currículo por e-mail.

Lime Media (Hawaii Star)
Aceita propostas apenas para novos projetos, e somente material pronto para impressão. É necessário entrar no site e baixar um contrato que deve ser enviado assinado por todos os participantes da história junto com a submissão. Você ainda deve enviar seus dados, um resumo de 1 a 3 págs, da história, incluindo também quants edições serão e o número de páginas por edição. De 4 a 8 páginas de arte em sequência, incluíndo o traço à lápis e o desenho arte-finalizado (um total de 8 a 16 páginas). A Lime Media também, aceita propostas para RPGs de mesa e games.

P2 Manga (Dark-N-Light)
Está aberta a submissões até setembro de 2010. Você deve enviar de 10 a 20 págs. completas, já finalizadas, colorizadas e com os textos. Aceitam apenas propostas para novos títulos.

Viz Media (licencia títulos famosos como Naruto e Bleach)
Possui um processo de envio extremamente elaborado. É preciso entrar no site e baixar o guia em .pdf que trás todas as regras.

Bom, ainda existem outras editoras em solo estadunidense, mas já falamos muito sobre a terra do Tio Sam. Na próxima parte do Guia vamos até Portugal falar sobre banda desenhada.

3 de fev de 2010

Kodama DF 2010


O evento de anime e fanzine mais tradicional de Brasília e região, o Kodama DF já está com as inscrições abertas para a sua edição 2010.

Teremos concursos de roteiros, quadrinhos, desenhos além de palestras, cosplayers. E quem quiser enviar o seu fanzine para o estande vendas já pode se inscrever.

Haverão várias oficinas, inclusive uma oficina de roteiro coordenada por este humilde blogueiro que vós fala.

O Kodama DF acontece nos dias 29 e 30 de maio das 11h às 21h nas dependências da UNIP. Mais informações no site oficial...

Kodama DF 2010

Vejo você lá!