16 de set de 2009

Guia das Editoras - parte 1: Nacionais


Hoje estou começando um serviço de utilidade pública. Um guia com links de editoras para as quais você pode (ou não) enviar seu projeto de HQ.

Vamos começar olhando o nosso próprio quintal, as editoras brasileiras, onde, infelizmente o cenário não é nada animador.

Como eu comentei com alguns amigos outro dia, atualmente as editoras tupiniquins praticamente não tem abertura para novidades.

Quando temos lançamentos made in brazil, é no esquema panelinha, como foi com Holy Avenger. Ainda assim, temos três opções para começar.

Quadrix (Andrea-D, O Vaqueiro e o Passáro de Fogo)
Pede o envio da HQ completa, acompanhada de um resumo de até 200 palavras, e se possível, um currículo de até 5 linhas de cada autor. No momento, só aceitam revistas com miolo preto-e-branco ou escala de cinza.

Quarto Mundo (Garagem Hermética, Café Espacial)

Grupo independente que auxilia na publicação e divulgação de obras jresponsável por alguns bons títulos, não recebe material, mas tem um forúm onde muitos internautas postam seus trabalhos, não custa nada dar uma olhada.

Nemo (Shakespeare em Quadrinhos)
A Nemo integra o grupo Autêntica, que engloba três editoras. Na página de envio de proposta é preciso clicar na caixa "Nemo" para visualizar o formulário de quadrinhos. Você deve enviar um arquivo .pdf contendo capa com o título e nomes dos autores, 1 página com sinopse e informações complementares, 6 a 12 páginas prontas e 1 página com minibiografia e dados dos autores.

New Pop (Vampire Kisses, Grimms Mangá)
Não estabelece regras para o envio de originais, apenas pede que seja enviado um projeto junto com um texto explicativo. 

Via Lettera (Bone, Yusagi Yojimbo)
Tradicional editora de livros, é mais uma a apostar nos livros encadernados, no site tem um e-mail para envio de curriculo de artistas, embora não digam com que objetivo.

Panini Comics (heróis Marvel e DC, Turma da Mônica)
A maior editora em nosso teritório atualmente. A grande aposta aqui é a Maurício de Souza Produções que há pouco tempo fez uma busca por novos talentos. Lançou recentemente a Máquina de Quadrinhos, um site onde os internautas criam HQs da Turma da Mônica, com a expectativa de as melhores serem publicadas.

Jambô Editora (DBride, A Mais Longa das Noites)
Editora comandada por Marcelo Cassaro (Holy Avenger). Está aberta ao envio de originais, texto devem ser encaminhados pelo correio, já ilustrações podem ser enviadas por e-mail.


Agora seque uma lista de editoras que não recebem nenhum tipo de material do internauta, mas como ninguém sabe o futuro, vale checar de tempos em tempos.


Abril Jovem (quadrinhos Disney, Witch)

As Américas (A Turma do Arrepio)

Conrad Editora (Evangelion, Cavaleiros do Zodíaco)

Deomar (Pica-Pau, Max Steel)

Devir (30 Dias de Noite, Whiteout)

Editora Barba Negra (Candyland, 676 Aparições de Killofer)

Editorial Kalaco (Flash Gordon, Entes Perpétuos)

Gal Editora (Filósofos em Ação, Três Dedos: Um Escândalo Animado)

Globo (Menino Maluquinho, Cocoricó)

HQM Editora (Seninha, Estranhos no Paraíso)

JBC (Inu-Yasha, XXX Holic)

L&PM (Garfield)

Lumus (Priest, Tarot Café)

Marca da Fantasia (Calvin & Haroldo)

Mythos (Tex, Mundo Canibal

On Line Editora (Moranguinho, Padrinhos Mágicos)

Quadrinhos na Cia. (Umbigo Sem Fundo)

Zarabatana (Macanudo, Clara da Noite)


E pra encerrar essa primeira parte do Guia, editoras nacionais sem site oficial.

Lancaster Editora (Ação Magazine)
Editora pela qual será lançada a revista Ação Magazine. Ainda não tem site, mas vocês pode visitar o blog de Alexander Lancaster.

Papel A2 (O Cabra)
Também não possui site, o link é para o fotolog de seu editor-chefe, Flávio Luiz.

Pixel Media (Luluzinha Teen, Astro City)
A Pixel Media pertence ao grupo Ediouro. Não possui um site oficial, mas no portal da Ediouro você pode encontrar o link para o blog da Luluzinha Teen.


E p-por hoje é só pessoal! Semana que vem eu volto com editoras americanas.


4 de set de 2009

Cascão Porker e a Pedra Distracional


Desde criança eu sempre fui um fã incondicional da Turma da Mônica, e tudo indica que vou continuar sendo pelo resto da vida!

Essa semana li mais um número da série Clássicos do Cinema (título especializado em paródias de grandes successos da telona), Cascão Porker e a Pedra Distracional.

Uma das grandes sacadas de Maurício de Souza & Cia. sempre foi se manterem atentos aos hits da cultura pop, mantendo assim, um certo ar moderno em personagens que já contam mais de 40 anos.


Mas o que mais me chamou a atenção nessa edição foi o acabamento: impressão em papel off-set, e desenhos seguindo um estilo diferente da revista normal, lembrando bastante o visual dos longas animados da turminha, preservando boa parte dos traços a lápis na versão final, dando assim uma aparência diferente e charmosa.


Fica aqui uma dica crucial para quem quer se manter no mercado de entretenimento por muito tempo: é preciso saber se reinventar, e inovar smpre. Cascão Porker e Turma da Mônica Jovem são essenciais para atrair novos leitores. Porém, nunca se deve trair suas origens, a velha turminha sempre estará lá para os leitores antigos.

1 de set de 2009

Homem-Aranha é da Disney


Ontem o mundo do entretenimento foi abalado com a notícia da compra do grupo Marvel Entertaiment pela Disney por módicos 4 bilhões de doláres (clique aqui para ler a notícia).


Desde que recebi essa informação fiquei pensando sobre o que eu poderia dizer sobre isso. Pensei, meditei, analisei, pensei mais um pouco e... não cheguei a nenhuma conclusão.


Me parece que o grande medo do público é a Disney impor o seu "estilo família" aos comics e filmes Marvel. O que significaria nada mais de Hugh Jackman correndo pelado e fatiando manés no próximo filme do Wolverine, o fim das cenas de sexo na linha Marvel Max (provavelmente o próprio selo seria extinto); e o que seria de personagens politicamente incorreto como Justiceiro, Nick Fury e o já citado Wolverine?


Por outro lado, é bom lembrar que os quadrinhos Disney vão de mal a pior nos Estados Unidos. O que aconteceria se as revistas de Mickey, Donald & cia. começarem a sair com o logo da Marvel?


Mas é claro que o oposto também pode acontecer. Talvez a Disney deixe a diretoria da Marvel como está, sem alterar nada na política da editora. Nesse caso a compra seria apenas um bom jeito de colocar uns cobres a mais no bolso.


Tudo isso são meras especulações, não dá pra saber ao certo o que vai acontecer, nem como isso vai afetar o futuro das marcas. Até o momento tudo sobre esse assunto é um grande ponto de interrogação. Mais do que isso são conjecturas e factoídes, nada mais.